Inicio da vida sexual:
Quem pode dizer se está preparada ou não para uma efetiva vida sexual é você, não tenha receio de perguntar, ninguém nasce sabendo, são sinais de que ainda não está preparada para uma efetiva vida sexual, assim como todos os seus comprometimentos.

Com a enorme demanda de informações simplistas em que o sexo fica o tempo todo explorado como uma necessidade imediata, os adolescentes, já sentindo as reações do desejo sexual, são incentivados  a experimentar e viver os sintomas de seus impulsos.

Então 14 anos não é a idade ideal pra o início da vida sexual? Certamente que não, e isso não quer dizer que exista uma idade ideal, mas que tal esperar a aquisição de mais maturidade, o que normalmente vai acontecer mais a frente em seu desenvolvimento.

A vivência sexual carece de informações importantes, não é vantagem nenhuma iniciar a vida sexual muito cedo, somadas ao preparo pessoal para poder assim desfrutar de seus benefícios, o que parecia tão estimulante, tão deliciosamente difundido como uma prazer enorme de indescritível  libertação, pode se transformar em uma dor de cabeça sem fim.


A prática sexual e a dor:
O envolvimento afectivo e os sentimentos de desejo, facilitarão o esperado  prazer.
A dor na penetração, acontecerá na medida que a vagina ainda não  estiver pronta para receber um pênis, ou a relação for feita de forma precipitada e sem a devida preparação.

A vagina se contrai, entre outros motivos pela ansiedade  provocada pelo desejo, dificultando o  relaxamento muscular (a vagina é um músculo), causando uma espécie de  vaginismo, (contracção involuntária da vagina), a dor poderá ser inevitável, na medida que a vagina não estiver relaxada.

Outros factores como alguma infecção ou irritação, podem contribuir com a dor na relação, neste caso não resta dúvida que deverá procurar cuidados médicos.

A lubrificação:
A lubrificação vaginal é correspondente a erecção no homem, o que facilitará a penetração, na medida que a mulher se excita produz uma secreção lubrificante.

Não acontecendo, ela pode estar  bloqueando seu desejo, dificultando o excitamento, impedindo uma lubrificação suficiente para uma penetração prazerosa.


O Pênis:
O tamanho médio do pênis ereto é de 12 a 17 cm, a vagina tem uma elasticidade que acomoda o pênis, se adaptando ao seu tamanho, entretanto o pênis muito grande, costuma causar algum incômodo,o quanto maior melhor, não passa de um mito, isso só acontece em filmes pornôs.

Pênis muito pequeno (menos de 5cm) por outro lado, em geral deixam uma sensação de vazio, exatamente porque não conseguem estabelecer o atrito sexual, necessário ao excitamento, mas estes casos são muito raros (existem recursos médicos para o aumento do pênis).

O Orgasmo:
O orgasmo independe do tamanho do pênis, e não se chega ao orgasmo só com a penetração, a masturbação que é o friccionamento dos genitais, clitóris e vagina, além da excitação provocada pelo acarinhamento dos seios, pode proporcionar um orgasmo intenso e prazeroso.

A masturbação:
Importante na vivência da própria sexualidade, a masturbação em geral é muito intensa na adolescência, sendo normalmente a primeira efetiva sensação sexual, que não deve ser desprezada, muito pelo contrário, na medida que a pessoa se descobre sexualmente, poderá ter na masturbação uma aliada importante no preparo para sua vida sexual futura com o parceiro.

Mitos:
A masturbação não causa espinhas, pêlos nas mãos, e muito menos pecado, isso tudo não passa de tabus sem nenhum fundamento, estes conceitos atendiam as repressões sexuais, principalmente influenciadas pelas crenças religiosas e seus dogmas.

Cuidados:
Não esquecer que em tempos de DSTs, (doenças sexualmente transmissíveis) inclusive a AIDS, todo cuidado é pouco, para que o exercício da própria sexualidade com o outro seja tranquilo.

O uso da camisinha masculina, e hoje também da camisinha feminina é imprescindível, não só prevenindo as possíveis doenças, quanto protegendo-se de uma gravidez indesejada (tão comum em adolescentes que iniciam a vida sexual muito cedo).

Finalizando:
O preparo para a vida sexual, passa pela informação, pela sensação e pelo toque, sexo é muito bom, mas tem hora para começar e momento para viver.

O instante certo será percebido com o desenvolvimento da própria maturidade e consequente responsabilidade.
Alguém que pretende ter uma vida sexual prazerosa e saudável, não pode prescindir destas informações. Não se precipite, a experimentação sexual chegará no momento adequado.
           

Fonte: www.she.com.br

 

..:Créditos:..     ..:Contacto:..   ..:Página em Construção:.. 

Menu

Afiliados